logo preto

Rohatsu Sesshin 2009-12-12

Vivendo na pupila do olho de Buda

Sem laços, nem limites

Oh, vida de mil faces

Conhecer as suas leis

É conhecer o caminho

Das mil estrelas

 

O Dharma, do é como é

Percorrer o infinito vazio

Em silêncio

É viver suspensos

Na surpresa dos instantes

Ouvindo o som dos sutras

Gia-te gia-te Hara gia-tei...

Se mesclando ao canto

Dos pássaros

Que anuncia o alvorecer

E o recolher de um dia, fugaz

O céu troveja

Relâmpagos prenunciam temporal

De verão

Chove lá fora

E dentro do nosso mente-corpo

Torrencialmente

De emoções, sensações e pensamentos

Que já grita de dor e desconforto

A chuva cai, como um bálsamo

Sobre o corpo e mente abandonado

Para manter a chama

Da mente desperta!

Obrigado Coen Sensei, por mais esse Sesshin!

Obrigado Sangha!


<!-- .hmmessage P { margin:0px; padding:0px } body.hmmessage { font-size: 10pt; font-family:Verdana } -->Poema do Enkan (Kaneaki Tada)


Enkan

Rohatsu Sesshin 2009-12-12

Vivendo na pupila do olho de Buda

Sem laços, nem limites

Oh, vida de mil faces

Conhecer as suas leis

É conhecer o caminho

Das mil estrelas

O Dharma, do é como é

Percorrer o infinito vazio

Em silêncio

É viver suspensos

Na surpresa dos instantes

Ouvindo o som dos sutras

Gia-te gia-te Hara gia-tei...

Se mesclando ao canto

Dos pássaros

Que anuncia o alvorecer

E o recolher de um dia, fugaz

O céu troveja

Relâmpagos prenunciam temporal

De verão

Chove lá fora

E dentro do nosso mente-corpo

Torrencialmente

De emoções, sensações e pensamentos

Que já grita de dor e desconforto

A chuva cai, como um bálsamo

Sobre o corpo e mente abandonado

Para manter a chama

Da mente desperta!

Obrigado Coen Sensei, por mais esse Sesshin!

Obrigado Sangha!

Enkan