Monja Coen Roshi

Sempre Zen

 

Sempre Zen"O que é ser uma monja? É ser. É servir. É meditar. É orar. É aprender. É ensinar". Em "Sempre Zen - Aprender, Ensinar e Ser", seu segundo livro, Monja Coen volta a apresentar sua postura de vida, ensinamentos e aprendizados zen-budistas.

Em "Sempre Zen", a autora ocupa-se em ensinar os termos-chave para a compreensão conceitual do zen. Sempre com um texto "leve como a brisa e pesado como a tempestade". "Budas são leves como borboletas, pesados como chumbo. Cada um de nós e manifestação da Terra. A vida de todos os seres da Terra se manifesta em cada um de nós", ensina.

Em palavras simples, fala do desapego do mundo agitado do dia-a-dia, do consumo intenso, do estresse, da competição, da posse, do medo de viver e de morrer.

Ordenada monja zen-budista em 1983, Monja Coen é a Primaz Fundadora da Comunidade Zen-Budista de São Paulo. Participa de encontros educacionais inter-religiosos e promove a Caminhada Zen em parques públicos, com o objetivo de divulgar o princípio da não-violência e a criação de culturas de paz, justiça, cura da Terra e de todos os seres vivos.

"Ser zen não é ficar numa boa o tempo todo, de papo para o ar, achando tudo lindo sem fazer nada. Ser zen é ser ativo. É estar forte e decidido. É caminhar com leveza, com certeza. É auxiliar a quem precisa, no que precisa e não no que se idealiza", escreve no livro.

Com conceitos simples como esse, a monja busca ajudar as pessoas a se conhecerem melhor para se tornarem conscientes de seu papel.